terça-feira, 27 de outubro de 2020

Segundo Dia de Campo em Agroecologia: Projeto NEA Territórios FAxinalenses e da UNITINERANTE

Foi realizado no sábado, 24 de outubro de 2020, o Segundo Dia de Campo do Núcleo de Estudos e Capacitação Sociotécnica em Agroecologia de Populações tradicionais em Territórios Faxinalenses (NEA Territórios FAxinalenses).


O encontro de troca de saberes e sementes foi realizado na Unidade de Referência Agroecológica de Antônio e Cida Ostrufka, localizado na comunidade de Sete Saltos de Cima, Distrito de Itaiacoca, no município paranaense Ponta Grossa. 


Presentes à reunião estavam os integrantes do Grupo de Pesquisa e Extensão Internconexões - Nicolas Floriani (UEPG), Cleusi Bobato Stadler (PPGG-UEPG),  Bruna Santos (PPGG-UEPG) - os agricultores agroecológicos da Cooperativa de Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar de Ivaí (COODESAFI) - Antônio Silva, Genésio Walkzuki, José Eloir Scheidt, Natan E.Maizuk, Lucas Bilek, Dionei Santana, Antonio Silvestre Leite, Paulo Ricardo Leite e sua Presidente Claudia Regina dos Santos; os agricultores agroecológicos da Associação Solidária para Agroecologia de Ponta Grossa (ASAECO) - Antônio Ostrufka e Cida Ostrufka, e o engenheiro agrônomo e professor do Colégio Agrícola de Palmeira, Odair de Oliveira, e Jairo Bufoliski da Prefeitura Municipal de Imbituva.



Participantes do Dia de Campo, cujo traslado foi possibilitado com o auxílio da Prefeitura Municipal de Imbituva, parceira do Projeto.


A primeira atividade do dia consistiu em realizar uma dinâmica de grupo em torno da Cartografia Participativa do Sistema Produtivo da Unidade de Referência Agroecológica, o que permitiu ao grupo entender o histórico de produção em cada parcela, as limitações da qualidade produtiva das terras, bem como um inventário da agrobiodiversidade local, da qual destacaram-se os adubos verdes de verão e de inverno e os microorganismos eficientes do ecossistema florestal.





Em destaque, produto da fermentação dos microorganismos eficientes da terra do capoeirão da U.R. Agroecológica.


A segunda atividade consistiu na turnê guiada às parcelas do estabelecimento agrícola, onde foram realizadas observações das propriedades físicas, morfológicas e biológicas das terras cultivadas  conforme manejo agroecológico.





Observações dos atributos biofísicos e morfológicos das terras da UR Agroecológica de Sete Saltos de Cima - NEA Territórios Faxinalenese. Exposição do Eng. Agrônomo Odair de Oliveira



Após o almoço agroecológico, o grupo reuniu-se sob o teto do Galpão de Estudos e Treinamento em Agroecologia da U.R., onde os agricultores deram as notas aos solos observados, de acordo com os parâmetros considerados na prática anterior.



Dois assuntos importantes também foram discutidos no Galpão: a dependência às tecnologias de produção agroindustrial e a criação de circuitos alternativos de comercialização.




No que tange à questão da busca pela autonomia em relação às tecnologia e ao mercado, enfatizou-se a necessidade premente de se fortalecer parcerias em rede para trocas solidárias de sementes crioulas e de adubos verdes. 


No tocante à questão das sementes crioulas, destacou-se a parceria com a ASP-TA e Coletivo Triunfo com o NEA Territórios Faxinalenses (NEA - TF) , quando da iniciativa de doar sementes crioulas de milho, feijão e de algumas hortaliças. 


A doutoranda Cleusi Bobato Stadler (PPGEO-UEPG), pertencente à Rede de Guardiões de Sementes do referido Coletivo, enfatizou a necessidade de trocas e reprodução dessas tecnologias sociais entre os agricultores no sentido de estruturar o Banco de Sementes Crioulas da Rede criada pelos atores integrantes do NEA-TF.




Igualmente importante foi a intervenção da Presidente da COODESAFI, Claudia Regina dos Santos, que destacou a necessidade de dar publicidade ao projeto e aos seus parceiros institucionais para que juntos possam demandar de legisladores municipais e estaduais ações concretas de desenvolvimento rural ligados à promoção de políticas publicas includentes da agricultura familiar. 


A presidente da COODESAFI cita, especificamente, a questão da apropriação da lei estadual que determina a obrigatoriedade da utilização de alimentação orgânica para merenda escolar de escolas públicas do Paraná, bem como outros mecanismos de incentivo à produção orgânica a partir de políticas de subsídio à produção e comercialização.


Nesse desafio, cabe à rede de atores agroecológicos pressionar os agentes políticos locais e regionais para garantirem a inclusão de grupos de agricultores familiares em transição à agroecologia nesse conjunto de  políticas públicas, sob a pena de que estas sejam controladas pelos grandes empresários da área do agronegócio que têm se apropriado de tecnologias agroecológicas (e orgânicas) de produção para fins exclusivamente comerciais.


É uma realidade que o mercado tem se apropriado dessas tecnologias, seja produzindo insumos ou alimentos. No entanto, defendemos a ideia de que a agroecologia deve ultrapassar uma racionalidade estritamente econômica, abrindo-se às especificidades culturais, ecológicas e sociais de cada território, de onde emergem - de baixo para cima e conjuntamente com diversos atores regionais -  projetos alternativos ao desenvolvimento rural.



Para finalizar o Dia de Campo, foram expostos os equipamentos e mudas de erva-mate comprados pelo Projeto NEA Territórios Faxinalenses com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e cedidos à UR Agroecológica. 




Por Nicolas Floriani

27 de outubro de 2020


Primeiro Dia de Campo em Agroecologia do Projeto NEA Territórios Faxinalenses e UNITINERANTE

 No dia 12 de setembro de 2020 ocorreu o primeiro Dia de Campo do "Núcleo de Estudos e Capacitação Sóciotécnica em Agroecologia de População Tradicionais em Territórios Faxinalenses".

Com a amorosa recepção dos agroecologistas Antônio Silvestre Leite e Janete Leite, a comitiva do projeto chegou à Unidade de Referência Agroecológica da Comunidade remanescente faxinalense  dos Galvão, no município de Imbituva - Paraná.





Presentes à reunião estavam os integrantes do Grupo de Pesquisa e Extensão Internconexões - Tainá Bobato (PPGECEM-UEPG), Gustavo Bahr (IFPR/PPGG-UEPG), Cleusi Stadler (PPGG-UEPG), Bruna Santos (PPGG-UEPG) - os agricultores agroecológicos da Cooperativa de Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar de Ivaí (COODESAFI) - Antônio Silva, Genésio Walkzuki, José Eloir Schmidt, Natan E.Maizuk, Aparecida Teixeira e sua Presidente Claudia Regina dos Santos; os agricultores agroecológicos da Associação Solidária para Agroecologia de Ponta Grossa (ASAECO) - Antônio Ostrufka e Cida Ostrufka, e a engenheira agrônoma do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná, Simone Miara.




A primeira atividade do dia de campo consistiu na turnê guiada pelo estabelecimento familiar dos Leite. A linda casa de madeira da família albergava os companheiros e companheiras agroecologista e também, em sua varanda, mirador da paisagem serrana da localidade, um condomínio de abelhas nativas.

Antônio Silvestre, Janete e seu filho Paulo habitam-cuidam (ressalta-se esse binômio tão significativo das práticas camponesas) de um território do Bem Viver, que nos inunda de esperanças e de uma utopia da reciprocidade e que almejamos nesse projeto, em tempos de individualismo e pandemia generalizados.





Um estábulo de vacas leiteiras, uma pequena horta, e campos sulcados para o plano do milho, em meio a nascentes protegidas por bosques serranos, testemunham o trabalho árduo e amoroso  de se cultivar a terra, as plantas e criar os animais: remédios caseiros à base de fitoterápicos, o cuidado com as minhocas que fazem o importante trabalho alquímico da compostagem, e o húmus sagrado, fruto precioso e rica substância da vida que irá a alimentar a terra da mandala agroecológica nos convidaram a imergir nesse mundo profícuo de coletividades pulsantes. Com esse coletivo, família, terra, plantas e animais fomos encantadoramente agraciados!!!



Sob as árvores nativas que consagravam o palco de conversas, iniciamos nossas atividades. Testemunhos de luta e esperança de agricultores orgânicos da COODESAFI, de experiências de amor pela terra e pelas sementes crioulas da ASAECO, e da mandala agroecológica da engenheira do IDR, fomos em comunhão incorporando os princípios das vidas agroecológicas. 

Uma árvore de conceitos sobre as dificuldades e sobre as alternativas agroecológicas foi coletivamente construída. Construído também foi o laço solidário ente os atores sociais presentes que iniciam este projeto do Bem Viver Coletivo que nos impulsiona pensar e praticar o compartilhar do patrimônio camponês gestado em territórios rurais do Paraná tradicional.













Por Nicolas Floriani


terça-feira, 16 de junho de 2020

Revista Latinoamericana POLIS publica artigo sobre a UNITINERANTE

A Revista Latinoamericana POLIS, número 56, publica artigo sobre a Unitinerante intitulado "Ecologia das Práticas e dos Saberes para o Desenvolvimento Local, no qual os autores propõem uma metodologia de estudo sobre estratégias de construção de autonomias socioambientais  de algumas comunidades tradicionais do centro-sul paranaense, a partir das capacidades de mobilização de seus próprios recursos, associados à colaboração de atores em rede, como universidades públicas e agentes públicos locais.


Convidamos para que confira o artigo acessando o link http://polis.ulagos.cl/index.php/polis/article/view/1520/2745



terça-feira, 17 de março de 2020

Unitinerante convida prefeituras de Imbituva e Imbaú para integrarem projetos NEA e Feira Unitinerantes para o Bem Viver

Na última sexta-feira (13), a equipe do Programa Unitinerante viajou até as cidades paranaenses de Imbituva e Imbaú para convidar os prefeitos e secretários municipais a integrarem o Programa.

A visita objetivou o estabelecimento de parcerias entre as municipalidades para  apoio aos projetos que visam o desenvolvimento local, tais como o NEA (Núcleo de Estudos em Agroecologia) e a Casa Unitinerante para o Bem Viver.

O NEA é um projeto federal de 2016 financiado por diversas instituições, tais como o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 􏰀 MAPA, o Ministério da Educação 􏰀 MEC e a extinta Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, tendo como um dos objetivos "(...) apoiar projetos que integrem ensino, pesquisa e extensão voltados à construção e socialização de conhecimentos e técnicas relacionados à Agroecologia e à Produção Orgânica, bem como à promoção dos Sistemas Orgânicos de Produção". 

Sob a Coordenação do Prof. Dr. Nicolas Floriani (UEPG-SETI), o "Núcleo de Estudos e Capacitação Sociotécnica de Populações Tradicionais em Agroecologia nos Territórios Faxinalenses" (Chamada CNPq No 21/2016)" busca capacitar agricultores e agricultoras em agroecologia e instalar unidades de referências agroecológicas em estabelecimentos familiares incluídos nos territórios faxinalenses (e remanescentes de faxinais). 

Complementarmente, o projeto "Casa Unitinerante para o Bem Viver" procura apoiar os projetos de desenvolvimento local a partir da criação de espaços solidários de trocas de saberes e experiências nas áreas de agricultura, saúde, cultura. 

Promovendo oficinas participativas e cursos de capacitação nas diferentes temáticas demandadas pelos Parlamentos Unitinerantes - de base comunitária, a Casa do Bem Viver torna-se um espaço democrático onde se discutem os problemas locais e se delibera por projetos e ações conjuntas entre os atores sociais integrantes desse Parlamento: poderes públicos municipais e estaduais (prefeituras conselhos, ministério público), comunidades rurais e urbana, organizações sociais e universidades.  

De mesmo modo, a " Feira Unitinerante para o Bem Viver", pertencente à Casa do Bem Viver, busca criar espaços solidários e ecológicos de produção e consumo em centros urbanos, de maneira a promover a geração complementar de renda de estabelecimentos familiares, preferencialmente, daqueles de produção de base ecológica e de agricultore(a)s participantes de NEAs  Unitinerantes. 

A primeira Feira Unitinerante para o Bem Viver deverá ser instalada na sede da Casa Latino-americana, localizada no Largo da Ordem, Centro de Curitiba, a partir do segundo semestre de 2020.

Na Prefeitura de Imbituva, as propostas da equipe Unitinerante foram muito bem recebidas pelo atual Prefeito Bertoldo Rover, pelo Secretário Municipal de Agricultura, Renato Schwab, e pelo Gerente Administrativo da Cooperativa de Desenvolvimento Sustentável de Agricultura Familiar de Ivaí (CODESAFI), filial em Imbituva, Sr. Luis Antonio Martins de Oliveira.

Da esquerda para a direita, presentes: Prefeito de Imbituva Bertoldo Rover, Prof. Dr. Nicolas Floriani (UEPG-SETI), Sra. Fernanda Penteado (UEPG), Prof. Dr. Dimas Floriani (MADE-UFPR), Dra. Gladys de Souza Sanchez (CASLA), Sr. Luis Antonio Martins de Oliveira (CODESAFI) e Sr. Renato Schwab (SMA).

Assinalando positivamente, o Prefeito e o Secretário de Agricultura se prontificaram em apoiar os projetos do NEA e da Feira Unitinerantes cedendo um espaço para a exposição, venda de produtos e cursos de capacitação, bem como transporte necessário às visitas de campo para os agricultores e seus produtos. 

Igualmente importante foi a participação da CODESAFI na reunião. Em visita à planta de beneficiamento, armazenamento e transporte da filial da cooperativa em Imbituva, o Gerente Administrativo mostrou à equipe Unitinerante a instraestrutura e os alimentos beneficiados produzidos por 148 cooperados, distribuídos em cinco municípios da região. Para o gerente, a Ideia do NEA e da Feira vem ao encontro dos objetivos da cooperativa de aderir a um novo modelo produtivo (agroecológico) e criar novos circuitos de comercialização.


Dra. Gladys de Souza Sanchez (CASLA), Sr. Luis Antonio (CODESAFI) e Prof. Dimas Floriani (MADE-UFPR) reunidos na Unidade de beneficiamento e transporte de produtos da CODESAFI, em Imbituva-PR.


Na mesma sexta-feira, pela tarde, a Equipe Unitinerante visitou a prefeitura Municipal de Imbaú, sendo recebida pelo Prefeito Sr. Laurir de Oliveira, o Secretário de Gabinete, Alcino Mendes e o Presidente da Câmara de Vereadores, Floriano Ferreira Pedroso.

Da mesma forma que em Imbituva, o poder público municipal de Imbaú se mostrou bastante solícito em apoiar a proposta do NEA e da Feira UNitinerante para o Bem Viver, especificamente em territórios faxinalenses e demais estabelecimentos familiares a fim de estimular e promover a conversão e consolidação de sistemas agroecológicos no município.

Da esquerda para a direita: o Secretário de Gabinete, Alcino Mendes; Prof Dr. Nicolas Floriani (UEPG-SETI); Prof. Dr. Dimas Floriani (MADE-UFPR); Dra, Gladys de Souza Sanchez (CASLA); Prefeito de Imbaú, Sr. Laurir de Oliveira; Presidente da Câmara de Vereadores, Sr. Floriano Ferreira Pedroso; Prof.Gustavo Bahr (IFPR-Telêmaco Borba).
Particularmente, as comunidades faxinalenses têm sido uma área de atuação  do Professor Gustavo Bahr (IFPR), integrante da Unitinerante, que também participou da reunião. De acordo com o professor do IFPR, a população rural da Charqueada dos Betim, constitui-se numa comunidade que herdou o modo de vida tradicional faxinalense, de maneira que atualmente este coletivo vem realizando solicitações juntos aos poderes públicos, organizações sociais e institutos para o reconhecimento de sua identidade socioterritorial. 

Por fim, uma das propostas da Equipe Unitinerante foi realização de um encontro entre os Secretários Municipais e demais atores envolvidos para o estabelecimento de uma agenda de ações para o anos de 2020.




Por Nicolas Floriani
Curitiba, 17 de março de 2020

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Reunião do Parlamento da UNITINERANTE em Rebouças destaca importância da Casa do Bem Viver

No dia 04 de dezembro de 2019, o Parlamento Unitinerante instalou-se na Câmara Municipal de Rebouças-PR, onde reuniram-se representantes de organizações sociais, do poder público municipal e estadual e universidades do Estado do Paraná: Tautê de Oliveira (MADE - UFPR), Diego Gustavo Silvério (MADE- UFPR), Giovanna Barreto (MADE - UFPR),Gladys Renée de Souza Sanchez (CASLA), Dimas Floriani (UFPR),  Nícolas Floriani (UEPG), Leopoldo Manoel de Toledo (Faxinal Marmeleiro de Baixo), Eugênia Ferreira de Deus (faxinalenses e benzedeira MASA), João Luís Dremiski (IFPR - Irari), Cristiane de Paula (Irati – CRAS), Marcelo Barreto (UNICENTRO ), Cristina Ide Fujinaga (UNICENTRO), Telma Regina Stroparo (UNICENTRO), Bruna Santos (UEPG), Luciane Bianco (Secretaria de Saude de Rebouças - setor de puericultura), Laércio Cipriano (Secretário Municipal de Agricultura, Rebouças), Joaquim Carlinhos Franco (assessor Dep. Romanelli), Daniele Andrade (Vereadora do Município de Rebouças), Elizabete Piana (Vereadora do Município de Rebouças), Maria Cristina Mazza (Colônia do Equilíbrio Dom Inácio, Irati), Franciele Carraro Cabral (Câmara de Vereadores de Rebouças), Aguinaldo Antonio Hurbik (Secretaria Municipal de Saúde de Rebouças, setor de epidemiologia).

Reunião do Parlamento Unitinerante de Rebouças, 04 de dezembro de 2019.

O coordenador acadêmico do Parlamento UNITINERANTE, Dr. Nicolas Floriani (UEPG/SETI) fez um relato sobre a visita pela manhã do dia 04/12/2019 na Colônia do Equilíbrio em Pinho Baixo sob a direção da engenheira florestal Cristina Mazza, referindo-se à proposta de Rota do Turismo Ecológico e à Casa do Equilíbrio, como Bairro do  Bem Viver, seus princípios e práticas. 



Lembrou ainda dos 3 eixos ou Comissões Temáticas apresentados em reunião anterior na UNICENTRO de Irati: 1) Patrimônio Sócioterritorial e Diálogo de Saberes; 2) Práticas Integrativas e Complementares de Qualidade de Vida e do Ambiente; 3) Desenvolvimento Local, Agroecologia e Economia Solidária. Destaca-se que estes eixos ou comissões são por essência interdisciplinares, de maneira que é meritória e desejável conexões entre os grupos atuantes.



Finalizou o relato com o informe sobre os avanços no Edital Seti-Unitinerante, a formação da Comissão SETI-CASLA-SAN para pleitear recursos junto à Secretaria Estadual de Justiça e da Família (SEJUF) e o evento das Raizeiras de Goiás, ocorrido em Irati, no Instituto Equipe de Educadores Populares (IEEP), em 20 de novembro último.

Foi lembrado também que a Comissão de Saúde (EIXO 2) do Parlamento Unitinerante foi constituída pelas seguintes representantes institucionais: 
  • Secretária Municipal Siebel Dietrich e pela pedagoga Cristiane de Paula da Secretaria Municipal de Assistência Social de Irati;
  • Dra. Cristina Ide Fujinaga, coordenadora do Programa de Pós-gradução em Desenvolvimento Comunitário da Unicentro - Irati);
  • Dra. Cristina Fadel, do Programa de Pós-gradução em Ciências da Saúde da UEPG;
  • Faxinalenses e Benzedores de Rebouças (MASA), Sr. Pedro de Deus, Sra. Nilza Aparecida Soares e Sra. Eugênia Ferreira de Deus.
  • Dra. Maria Cristina Mazza da Colônia do Equilíbrio Don Ignácio Loyola, Irati.
  • Dra. Gladys Renée de Souza Sanchez (CASLA);
  • Sra. Luciane Bianco (Secretaria de Saude do Município de Rebouças - setor de puericultura), Sr. Aguinaldo Antonio (SMS de Rebouças, setor de Epidemiologia).
  • Mestranda Bruna Santos do Programa de Pós-graduação em Geografia da UEPG;
  • Doutorando Diego Gustavo Silvério, do Programa de Pós-graduação em meio Ambiente e Desenvolvimento da UFPR;
A Professora Cristina Fujinaga da UNICENTRO de Irati sugere que a Casa do Bem Viver deverá integrar também o atendimento materno-infantil, para gestantes, com cuidados alternativos, valorizando os conhecimentos existentes, fazendo assim uma ponte com a comunidade, integrando mestres e doutores com os saberes locais. A referida professora destacou também a necessidade de parcerias para  o desenvolvimento do projeto de uma Padaria Comunitária de Mulheres, no Bairro Jardim das Américas, no município de Irati. 

Neste sentido, Luciane e Aguinaldo, técnicos da Secretaria Municipal de Saúde de Rebouças, enfatizam a necessidade de cuidados com as gestantes, levando em conta a existência de partos prematuros, embora o município esteja bem nos indicadores de saúde. 

A Coordenadora geral do Parlamento Unitinerante e Presidente da CASLA, Dra. Gladys de Souza Sanchez reforça a necessidade de união entre comunidades em torno das estratégias do Bem Viver, partindo-se das práticas a desenvolver nas Casas do Bem Viver; nesse espaço é onde se pode dialogar entre os diversos saberes locais e os conhecimentos acadêmicos. Assim, a Casa do Bem Viver opera com o conceito de saúde preventiva comunitária e não com o de doença como ocorre com os hospitais. Cristina Mazza lembra que todos nós somos aprendizes do Bem Viver e o mais importante é de integrar os projetos em andamento com os novos a serem criados.

A Casa do Bem Viver a ser implementada em Rebouças deverá buscar sua integração à realidade cultural, social e ambiental local. Conforme anunciado pelo Secretário da Agricultura de Rebouças. Laércio Cipriano, a Prefeitura instalará no Parque João Maria do conjunto residencial Facão, já existente.


Fala do Secretário de Agricultura De Rebouças na Reuniao do Parlamento Unitinerante (04/12/19)

O Sr. Leopoldo do Faxinal Marmeleiro agradece ao Secretário de Agricultura Laércio Cipriano e Lediane Carraro pelo apoio oferecido às atividades agroecológicas de produtos orgânicos. Cita o caso de 12 famílias certificadas, mas lembra da necessidade de condução para as feiras. Em sua comunidade, 440 famílias dependem do poço artesiano e também sua experiência de 12 anos como atuante na associação local tem demonstrado que não se tem uma política focada para a juventude.

Dona Eugênia se refere à sua experiência com ervas medicinais e ao plantio de árvores nativas frutíferas, além da horta comunitária para as famílias. Com este mesmo intuito, o Prof. João Luís do IFPR cita experiências de Palmeira, com as mulheres que produzem chapéus e coloca-se à disposição para a difusão do projeto, por meio de Mutirões do Bem Viver. 

Os Laboratórios de Água da UNICENTRO junto com o projeto agroecológico, relatados pelo Professor Marcelo Barreto da Unicentro são ferramentas de formação capazes de gerar um envolvimento comunitário, por meio de mini cursos, Oficina Roda Mate-Debate. Ir às escolas para promover essa formação sobre agrotóxicos e agroecologia. Outro aspecto a sublinhar são os projetos de comercialização dos produtos agroecológicos. Trata-se de projetos intersetoriais e interinstitucionais. 

Nesses termos, o Eixo 3 “Desenvolvimento Local, Agroecologia e Economia Solidária” do Parlamento Unitinerante congrega os seguintes representantes institucionais:
  • Nicolas Floriani, Grupo de Pesquisa e Extensão Interconexões e professor do Programa de Pós-graduação em Geografia da UEPG;
  • Laercio Cipriano e Lediane Carraro, Secretaria Municipal de Agricultura de Rebuças;
  • Celbo Antonio Fonseca Rosas da Incubadora de Empreendimentos Sociais (IESOL) e professor do Programa de Pós-gradução em Geografia (UEPG);
  • Marcelo Barreto professor do Departamento de Geografia da UNICENTRO-Irati;
  • Daniele Andrade e Elizabete Piana, Vereadoras da Câmara Municipal de Rebouças;
  • João Luis Dremiski, professor do Curso em Agroecologia do IFPR de Irati;
  • Antonio Ostrufka, agroecologista do Centro de Educação eTreinamento em Agroecologia (CETA), da Região de Ponta Grossa;
  • Leopoldo Manoel de Toledo, presidente da associação de moradores faxinal Marmeleiro de Baixo, Rebouças.
  • Telma Regina Stroparo, Professora do Departamento de Contabilidade da Unicentro-Irati;
  • Margit Hauer, departamento socioambiental do Instituto Ambiental do Paraná;
  • Marilisa do Rocio Oliveira, professora do Departamento de Administração da UEPG;
  • Gustavo Barh, professor do curso de Geografia do IFPR de Telêmaco Borba;
  • Cleusi Bobato Stadler, doutorando do Programa de Pós-graduação em Geografia da UEPG;
  • Arido Portela, agroecologista da Comunidade do Palmital dos Pretos, Campo Largo;
  • Paulo Nobukini, professor do Programa de Pós-graduação em Geografia da Unicentro de Guarapuava;
  • Benjamim Vieira e Narcisa Vieira, agroecologistas da Comunidade Rural do Sete Saltos de Cima, Ponta Grossa.
A Vereadora Daniele Andrade apontou para a valorização do trabalho do agricultor e da agricultora, buscando assim despertar no jovem o interesse no papel da agricultura que deve ir além da subsistência. 
A importância de protocolos para interpretar as linguagens tanto acadêmicas como as dos saberes tradicionais locais. As oficinas formativas são muito importantes para a abordagem da diferenciação étnico-raciais, segundo Tautê de Oliveira.

Nesse sentido, o EIXO 1 do Parlamento Unitinerante “Patrimônios Socioterritoriais e Diálogo de Saberes” constitui-se no intuito de promover e das visibilidade à cultura e aos direitos socioterritoriais das comunidades integrante do Parlamento. Fazem parte, portanto, do Eixo 1 os seguintes representantes institucionais:
  • Dimas Floriani, professor do Programa de Pos-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento da UFPR;
  • Nilson Fraga, professor do Programa de Pós-graduação em Geografia da UEL;
  • Almir Nabozny, professor do Programa de Pós-graduação em Geografia da UEPG;
  • Eloi Magalhães, pró-reitoria de extensão da Unespar. 
  • Maria Ligia Cassol Pinto, professora do Programa de Pós-graduação em Geografia da UEPG;
  • Tautê Oliveira, doutorando do Programa de Pó-graduação em Sociologia da UFPR;
  • Giovana Barreto, doutorando do Programa de Pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento da UFPR;

Por fim, o Prof. Nicolas Floriani sugeriu a assinatura dos termos de cooperação entre a CASLA, as Prefeituras, as Comunidades locais e as universidades envolvidas neste Projeto Piloto.



segunda-feira, 25 de novembro de 2019

EVENTO VIVÊNCIAS EM AGROECOLOGIA É PROMOVIDO POR INTEGRANTES DO PARLAMENTO UNITINERANTE DE ITAIACOCA


No dia 30 de novembro de 2019, o Centro de Educação e Treinamento em Agroecologia (CETA) e a Associação Solidária da Agricultura Ecológica  de Ponta Grossa e Região (ASAECO), em parceria com o Grupo de pesquisa-extensão Interconexões da UEPG, promovem o encontro "Vivências em Agroecologia".


Segundo o presidente do CETA, o  agroecologista Antonio Ostrufka, o intuito do encontro é promover a troca de experiências em práticas produtivas agroecológicas entre agricultore(a)s ecológicos da região, acadêmicos e comunidade rural. 

Está previsto para o sábado (30), palestras e práticas de campo, tais como, plantio de sementes crioulas em sistema agroflorestal, ciclagem de nutrientes e compostagem, horticultura orgânica.

A participação dos graduandos de Geografia, na disciplina de Biogeografia do departamento de Geociências da UEPG, sob responsabilidade da Profa. Dr. Karin Hornes, buscará visitar propriedades em comunidades rurais tradicionais da região que aderiram ao processo de transição agroecológica, realizando mutirões de plantios de sementes crioulas, provindas do projeto "Guardiões de Sementes Crioulas", da doutoranda do Grupo de Pesquisa Interconexões (PPGEO-UEPG),  Prof. Ms. Cleusi Bobato Stadler.



Mestre Agroecologista Antonio Ostrufka

A profícua parceria entre o CETA e o Interconexões para a promoção da Agroecologia, foi estendida em 2018 ao  Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e à Casa Latino-americana (CASLA), de maneira que no início do semestre de 2019 foi possível inaugurar a estufa de mudas de árvores nativas, por meio do projeto "Das Territorialidades Tradicionais às Territorializações da Agroecologia: Saberes, Práticas e Políticas de Natureza em Comunidades Rurais Tradicionais do Paraná" financiado pelo CNPq (edital Universal, 2017) , sob a coordenação do prof. Dr Nicolas Floriani (UEPG).

Destaca-se ademais que o CETA e a ASAECO também integram o Parlamento Unitinerante de Itaiacoca, congregando  diversos atores sociais da região. O Parlamento é uma instância consultivo-deliberativa  do "Programa Unitinerante: Universidade Itinerante pelo Direitos Humanos, da Natureza, pela Paz e Bem Viver", de autoria da CASLA, e apoiado pelas Superintendências de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), de Diálogos e Interação Socail (SUDIS) e o Ministério Público do Paraná.

O Evento, sua programação pode ser encontrada abaixo, contará com a certificação de 08h.



PROGRAMAÇÃO
Dia 30 de novembro de 2019


Das 08 as 09h- Abertura com café da manhã + Apresentação dos participantes. 


Das 09 as 10h- Histórico do  CETA.


Das 10 as 12:30- Caminhada na agrofloresta: teoria e prática -  fertilidade e manejo da matéria orgânico do solo: ciclagem de nutrientes, interação solo-planta, biologia do solo, bioindicadores e adubos verdes, compostagem.


12:30 as 13:30- Almoço (por adesão R$12,00).


Das 14 as 15h- Caminhada na área de produção agroecológica:  fertilidade e manejo da matéria orgânico do solo: ciclagem de nutrientes, interação solo-planta, biologia do solo, bioindicadores e adubos verdes, compostagem.


Da 15 as 17h- Apresentação Banco de Sementes Crioulas e Plantio em estabelecimentos agrícolas em transição agroecológica (Palmital do Petos e Sete Saltos de Cima)





Segundo Dia de Campo em Agroecologia: Projeto NEA Territórios FAxinalenses e da UNITINERANTE

Foi realizado no sábado, 24 de outubro de 2020, o Segundo Dia de Campo do Núcleo de Estudos e Capacitação Sociotécnica em Agroecologia de Po...